LICURIZEIRO (Syagrus coronata)
Família Palmae.
Nomes populares: Licuri, aricuri, nicuri, alicuri.

Palmeira típica do semi-árido nordestino, o licuri é um elemento bastante reconhecido na composição da caatinga. Mede de 8,00m à 11,00m, tendo folhas com mais ou menos 3,00m de comprimento. Seu tronco é levemente pesado e exposto ao tempo, tendo baixa durabilidade. As folhas são utilizadas na confecção de sacolas, chapéus, vassouras, espanadores, etc. largamente utilizadas pela população. É uma palmeira decorativa em razão de sua forma helicoidal caracterizada pela inserção das folhas. Por raspagem as folhas fornecem a cera de licuri. Os frutos são usados pela população carente como alimento, "in natura" ou moído e misturado com farinha de mandioca fazendo a paçoca. Servem também para extrair óleo e leite que é bastante apreciado na culinária da população do semi-árido. Na extração do óleo o resíduo serve como alimento para animais. Frutifica com predominância nos meses de maio-agosto, sendo que os frutos amadurecem nos meses de outubro-dezembro. Para a produção de mudas, colhe-se os frutos maduros diretamente da árvore ou quando iniciam a queda espontânea. Não há necessidade de despolpá-los. Usa-se um canteiro contendo matéria orgânica e um ambiente bem sombreado. A germinação é lenta, podendo demorar até um ano.


Referência Bibliográfica:
LORENZI, Harri. Árvores Brasileiras Manual de Identificação e Cultivo de Plantas Arbóreas Nativas do Brasil. Editora Platarum, Nova Odessa, São Paulo, 1992, p. 287

Clique para ampliar.